top of page
  • Writer's pictureWagner Rodrigues

Brasil protagoniza debate sobre promoção de direitos das pessoas LGBTQIA+ em seminário com autoridades internacionais

É a primeira vez que o Itamaraty promove um evento sobre a integração das questões LGBTQIA+ à política externa brasileira


O Itamaraty promoveu um debate abrangente sobre a integração das questões LGBTQIA+ à política externa brasileira


No contexto do mês do orgulho LGBTQIA+, a secretária nacional dos Direitos das Pessoas LGBTQIA+ do Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania, Symmy Larrat, participou, nesta terça-feira (25), do Seminário “Relações Internacionais, Política Externa e Direitos LGBTQIA+”, no Palácio Itamaraty, com a presença de autoridades internacionais. A experiência exitosa da pasta, vista como referência a ser compartilhada e replicada por outros países, foi o foco principal da mesa de abertura do evento, organizado pelo Ministério das Relações Exteriores, em parceria com a Fundação Alexandre de Gusmão (Funag).

Pela primeira vez, o Itamaraty promoveu um debate abrangente sobre a integração das questões LGBTQIA+ à política externa brasileira. Na abertura do seminário, a secretária nacional destacou a importância do Ministério das Relações Exteriores na jornada das políticas externas LGBTQIA+. “O Itamaraty reconheceu a importância de reposicionar o governo e voltar a ser protagonista nas pautas de direitos humanos e nas pautas LGBTQIA+”, ressaltou.

Symmy Larrat também participou da mesa intitulada "Promoção dos direitos das pessoas LGBTQIA+ nas relações internacionais". Sobre o tema, a gestora abordou o orgulho e o desafio do país em ter uma pasta específica sobre o assunto. “Esse lugar pode inspirar outros países na construção de políticas públicas, visando a criação de uma rede que atue na proteção de nossas vidas”, reconheceu a secretária.

Ainda em sua fala, a gestora lembrou da participação do ministério durante a primeira missão internacional do ministro Silvio Almeida, na 52ª Sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU, em fevereiro de 2023. “Foi um marco para todo o segmento LGBTQIA+, de estar com o ministro, numa simbologia de mostrar que nós construímos uma secretaria nacional e que esta pauta é importante e está no cotidiano em nosso país”, avaliou Symmy.

O ministro de estado das Relações Exteriores, Mauro Vieira, enalteceu os muitos momentos do debate internacional, na ONU e na OEA, em que o Brasil liderou iniciativas de reconhecimento de direitos das pessoas LGBTQIA+, em outros adotou posicionamentos distintos. “O que posso garantir é que, no governo do presidente Lula e na minha gestão à frente do Itamaraty, estamos fazendo grande esforço de ajuste de políticas públicas para reafirmar o compromisso com os direitos humanos das pessoas LGBTQIA+, tanto no Ministério de Relações Exteriores quanto em outras áreas de governo”, assegurou o titular da pasta.

O seminário contou ainda com mais duas mesas de debate, "Representatividade LGBTQIA+ na construção da política externa brasileira" e "Inclusão, visibilidade e participação LGBTQIA+ no Ministério das Relações Exteriores", com a participação de representantes da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados, das Nações Unidas, da Comissão Interamericana de Direitos Humanos e da Associação Internacional LGBTQIA+ (ILGA), além de servidores do MRE.


Por: Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania (MDHC)

4 views0 comments

Commentaires


bottom of page